EP word of the week (#146): pechisbeque

Bom dia a todos! Espero que tenham tido uma ótima semana (e que esta, que já vai a meio, esteja a ser igualmente boa).

Nesta quarta-feira de fim de Março, trago-vos uma palavra que poderão ouvir na rua, especialmente junto a feiras e mercados de artesanato, e na sua maioria por pessoas com maior idade. Estou a falar de [o] pechisbeque (nome e/ou adjetivo), um utensílio ou coisa de pouca qualidade ou sem grandes utilizações práticas (trinket em inglês).

pechisbeque

Continue reading

EP idiom of the week (#145): cascos de rolha

Quando chega a primavera, é normal que as pessoas tenham maior tendência para querer passar mais tempo fora de casa. Ainda que não nos possamos queixar do nosso clima (é possível ter várias semanas de inverno relativamente amenas e sem chuva e igualmente algumas semanas bastante chuvosas na primavera), o ciclo de reflorescimento da natureza e a aproximação ao Verão deixa os portugueses geralmente mais bem-dispostos e dispostos a passear!

Alguns decidem ir para lugares longínquos e/ou inauditos (ou seja, longe do sítio onde vivem e/ou sítios de que nunca ninguém ouviu falar). Felizmente, a língua portuguesa tem uma série de expressões para esses sítios longínquos! Uma delas é “cascos de rolha” (rolha é aquilo que se coloca numa garrafa para impedir que saia o que está lá dentro), e outras incluem “o bilhar grande e “para lá do sol posto“.

champagne-cork-1350404_960_720

Continue reading

EP idiom of the week (#144): vir à baila

Ora aqui está uma expressão bastante gira e que pode ser muito utilizado num registo mais coloquial e popular!

Vir à baila (ou trazer à baila) significa “ser mencionado, referido em conversa”; basicamente, sempre que algum assunto, pessoa ou situação específica são referidos numa conversa ou discussão, diz-se que “veio à baila” ou “foi trazido à baila”.

Baila aqui significa enumeração, menção (não tem nada a ver com [o] baile, a dança).

trazer-a-baila

Continue reading

EP word of the week (#143): marcha-atrás

Por várias vezes já tive a oportunidade de mostrar que o campo dos transportes é dos que mais diferenças tem entre o português europeu e o brasileiro. O facto de serem utilizados por toda a gente, e logo por serem uma presença quotidiana na vida de todos, ajuda a que se criem maneiras diferentes e particulares de falar sobre eles, por vezes afetando a compreensão caso alguém não conheça a terminologia adequada.

A Palavra do Dia de hoje demonstra mais um desses exemplo, nesse caso o da mudança ou manípulo que permite a qualquer veículo andar para trás (normalmente marcada com um R na caixa de velocidades dos carros). Em Portugal, chama-se a esta mudança [a] marcha-atrás; no Brasil, a palavra utilizada é [a] ré.

gear-shift_100302467_l

Continue reading